Com uma tenda duas mochilas e pouco mais. Foi assim que dois severenses, Joana Nogueira e Tiago Pinho, partiram há cerca de dois meses de Sever do Vouga para descobrir o mundo. A aventura começou em Budapeste e o objetivo é ir da Europa a, pelo menos, à Índia, por terra. Depois de poupanças, planos, avanços e recuos os dois jovens deixaram os empregos, a rotina do dia-a-dia, para uma viagem de oito meses. Sem marcações. Vão por aí, à procura de novas pessoas, novos costumes. Fogem aos cartões de visita típicos dos turistas, das vistas rápidas para a fotografia da praxe. Procuram colecionar momentos, entrosar-se com outras culturas, mergulhar em diferentes realidades. O nosso leitor já deve estar a fazer contas, a quanto custa viajar, de país em país, durante oito meses. Talvez o consigamos surpreender. Boleias, comidas feitas em casa, dormidas na tenda e nada de compras supérfluas, fazem reduzir e muito a fatura deste casal que desafia o comodismo e consumismo, não esperando para amanhã, para viver hoje.

Depois de dois anos de preparação, poupanças e uma planificação detalhada da aventura, Joana e Tiago puseram-se às estrada. “A ideia de fazer um gap year surgiu principalmente devido a dois factores: primeiro, sempre tivemos vontade de viajar de uma forma que nos permitisse estar mais tempo nos destinos, conhecer as pessoas, e integrarmo-nos um pouco na sua cultura; Segundo, porque nos apercebemos que o estilo de viagem que gostamos de fazer é muito barato, o que nos permite viajar por mais tempo”, contam ao Jornal Beira Vouga.

Leia a notícia na integra na edição impressa do Jornal Beira Vouga