Como é que Sever do Vouga é conhecida no país e até no estrangeiro? Sobretudo pelo mirtilo. O pequeno fruto cor púrpura tem marcado o território. Hoje a relação entre o fruto e o concelho é indelével. São já décadas a trabalhar a terra. A inovar, a evoluir. O caminho trilhado enche o concelho de orgulho. Hoje, não é só o mirtilo, são os pequenos frutos, são os derivados é o turismo e as pessoas que visitam Sever do Vouga devido à marca: Sever do Vouga capital do mirtilo. O caminho é o horizonte e há ainda mais objetivos para concretizar: aumentar por exemplo o tempo de produção é um objetivo a trabalhar. A produção de mirtilos tem vindo a aumentar no concelho e é esta a tendência para os próximos anos, frutos dos muitos pomares que começam a produzir. A Mirtilusa garante que tem mercado para duplicar as vendas. A fileira mostra-se optimista num futuro auspicioso. Estivemos à conversa com alguns dos protagonistas e damos conta do ponto de situação da fileira e fazemos a antevisão de mais uma campanha.

 

 

“Não conseguimos ser o concelho com mais área, mas somos os pioneiros, isso temos a certeza. Somos os que temos as melhores técnicas de produção, temos o solo e clima adequados, o nosso mirtilo é inigualável. É um sucesso na comercialização, é muito procurado”, defende Almeida e Costa justificando, assim, o título de capital do mirtilo. De facto, o mirtilo tem marcado fortemente o concelho e tem dado a conhecer Sever do Vouga ao mundo. “É a todos os níveis uma mais-valia para o concelho e é por isso uma grande aposta da Câmara Municipal”, destacou o vice-presidente da câmara, em declarações ao Beira Vouga.

Leia a notícia na integra na edição impressa do Jornal Beira Vouga