Terminou mais uma edição da FicaVouga. Nove dias de música, gastronomia, artesanato, mostra económica, desporto e teatro. Os concertos voltaram a atrair milhares de pessoas de vários pontos do país. O recinto teve mais actividade do que nunca; as freguesias e associações estiveram em destaque. O certame severense tem-se afirmado com uma festa com marca no país.

De 22 a 30 de Julho Sever do Vouga foi paragem obrigatória. Decorreu mais uma edição da festa dos severenses que, mais uma vez, pautou-se por muita música e muita animação. Com cerca de cinquenta espectáculos, com animação permanente e com a vista de vários milhares de pessoas, a FicaVouga mostrou a força de Sever do Vouga.

No final, em declarações ao Jornal Beira Vouga, António Coutinho fez um balanço muito positivo. “O cartaz era fabuloso e tivemos dias muito fortes, com muita gente a assistir aos espectáculos. Toda a semana correu muita bem”, referiu o Presidente da Câmara que acredita que a FicaVouga está ao nível de muitos festivais nacionais. “Não tenho quaisquer dúvidas. Aliás, já fomos convidados e estamos, inclusive, a pensar a integrar o calendário dos festivais”.

Leia a notícia na integra na edição impressa do Jornal Beira Vouga.

O último dia da FicaVouga fica também marcado pelo anúncio dos projectos vencedores daquele que foi o primeiro Orçamento Participativo do concelho de Sever do Vouga. Dos doze projectos finalistas, três vão sair do papel. Escarpas do Gresso, em primeiro lugar; PONTO i – SEVERiNCLUI , em segundo e o melhoramento do abrigo para animais abandonados em terceiro lugar. A cabimentação total para este primeiro orçamento era de 50 mil euros, pelo que, o terceiro projecto aprovado, como adiantou a autarquia, deverá ser ajustado para perfazer este valor.

António Coutinho fez um balanço muito positivo desta edição piloto. Uma experiência a repetir garante. “Haverá, com certeza, para o ano uma nova edição do orçamento participativo e, provavelmente, com mais cabimento orçamental para podermos incluir mais projectos”, adiantou o autarca.

Neste primeiro orçamento participativo, no total votaram 1869 pessoas. O Presidente da Câmara destaca a participação dos severenses. “Ficámos bastante satisfeitos com a adesão, não só a nível de projectos apresentados, mas também em termos de votação”, sublinhou.

Leia a notícia na integra na edição impressa do Jornal Beira Vouga.

 

 

O independente Mário Silva, de 48 anos, é o cabeça de lista do Partido Socialista à Assembleia Municipal de Sever do Vouga. Em declarações ao Jornal Beira Vouga, adiantou que, ao aceitar este convite, os seus principais objetivos passam por “defender os superiores interesses do concelho, pugnando por um crescimento harmonioso, sustentável e solidário do mesmo, e por aproximar os eleitores dos eleitos”, referiu Mário Silva destacou ainda a importância deste órgão autárquico na definição das políticas do município, prometendo, caso seja eleito Presidente da Assembleia Municipal, “uma atitude de permanente diálogo, por forma a criar os indispensáveis consensos entre as diferentes bancadas”.

Leia notícia na integra na edição impressa do Jornal Beira Vouga.

 

A FicaVouga é também sinónimo de recordes. No domingo, 30 de Julho, em Sever do Vouga, foi criado o “maior bolo de laranja do mundo, à moda da avó”. Com cerca de tonelada e meia, com 2.33 metros de diâmetro e 46,5 cm de altura esta criação gigante ultrapassou amplamente os objectivos definidos inicialmente e tudo indica que vai mesmo para o livro dos recordes do guiness. Mais importante que essa vitória, contudo, é a causa social. Cada fatia de bolo foi vendida a um preço simbólico. As receitas reverteram integralmente para a Liga Portuguesa Contra o Cancro.

Era um bolo de peso e ao bolo os severenses aderiram em peso. 410 kgs de açúcar, 360 kgs de margarina, 360 kgs de farinha, 7.200 ovos e 300 kgs de laranja resultaram num bolo que não deixou ninguém indiferente. A iniciativa, que contou com a participação da VougaPan e da Confiança, pastelarias severenses, e da Pastelaria Flor de Aveiro, foi acolhida de braços abertos pelos severenses que compraram largas centenas de quilos. Esta iniciativa contou, ainda, com a participação do mestre pasteleiro Pedro Santos, conhecido por produzir o melhor bolo-rei do país. De facto, nem sempre quantidade é sinónimo de qualidade. Mas desta vez foi. O suculento sabor da laranja, a escolha de produtos nacionais, deram um sabor tradicional ao bolo, que numa viagem de sabores, fez lembrar os bolos dos tempos da infância produzidos pelas nossas avós.

Leia a notícia na integra na edição  impressa do Jornal Beira Vouga

Os fins-de-semana da FicaVouga tiveram outra cor, com a realização do Sever sem Fronteiras, inspirados nos Jogos sem Fronteiras. Uma iniciativa da Associação Severi, com a colaboração da Câmara Municipal de Sever do Vouga que quis reactivar umas das tradições antigas deste certame. Foram quatro dias de muita aventura. Desde jogos tradicionais, a jogos aquáticos, da perícia, à velocidade… muitos foram os desafios. Mas mais do que competição, aqui valeu o convívio. As setes equipas, uma de cada freguesia, mostram o seu “fair-play” e provaram que Sever do Vouga não tem mesmo fronteiras.

Na cerimónia de entrega de prémios, a organização deu os parabéns a todos os participantes e desejou "que a iniciativa possa crescer de ano para ano”. A Severi recordou, ainda, que foi fundada em Março deste ano e, que “apesar da sua curta história, está no território a tentar fazer a diferença, promovendo a união do concelho, e que estes jogos são exemplo disso”.

António Coutinho mostrou-se muito satisfeito com a iniciativa que reuniu jovens de todas as freguesias. Destacou a vertente de convívio dos jogos, que “privilegiam a brincadeira, em vez de uma competição desenfreada”, e garantiu que esta é uma iniciativa para continuar. Esta foi uma das novidades desta edição da FicaVouga que, nas palavras do Presidente da Câmara, “vieram dar mais vida ao certame”.

Leia a notícia na integra na edição impressa do Jornal Beira Vouga