Com a humildade de sempre, o Jornal “Beira Vouga” assinala com esta edição mais um aniversário, o 54º. Nesta caminhada de mais de meio século colaboraram várias gerações num esforço continuado de não deixar interromper uma publicação que constituirá seguramente a mais longa e a mais regular dos concelhos que serve. Vai para essas gerações a nossa primeira saudação com um profundo respeito pelo trabalho desenvolvido e pelo esforço despendido.

 

Saudamos com igual carinho e particular amizade os nossos Leitores habituais e os nossos Assinantes fiéis, muitos dos quais nos acompanham há várias dezenas de anos, numa atitude de colaboração amiga que nos ajuda a viver e nos incentiva a continuar. Tal como os nossos Anunciantes que, apesar das suas próprias dificuldades motivadas por uma crise longa e persistente, compreendem a nossa função e, sempre que podem, disponibilizam o apoio publicitário sem o qual não poderíamos viver. A todos o nosso obrigado sincero e humilde.

Uma palavra mais, de reconhecimento, aos nossos Assinantes que mantêm em dia o pagamento das respectivas assinaturas. Nos últimos meses fizemos todos, o Jornal e esses Assinantes, um esforço acrescido para nos mantermos dentro das exigências legais que impõem que as assinaturas de cada ano sejam pagas impreterivelmente até ao fim do mês de Junho, sob pena de perdermos os escassos benefícios que o Estado nos concede na distribuição pelos Correios. Àqueles que ainda não procederam a esse pagamento, renovamos aqui o nosso apelo.

Com esta vasta família, complementada por uma equipa de profissionais, jornalistas e promotores de publicidade, aqui estamos para continuar, mais confiantes que tranquilos. Continuaremos a dar o nosso melhor para facultar com dignidade aos nossos leitores uma informação séria e responsável, comprometidos apenas com os interesses da nossa região e das suas gentes. Se os nossos Assinantes continuarem a compreender a nossa insistência no pagamento atempado do Jornal e as empresas e entidades reconhecerem o interesse público da nossa função, estamos certos que esta caminhada honrará nos anos futuros todo o nosso passado que assumimos na sua totalidade. É certo que os tempos que aí vêm não anunciam nada de muito melhor. Receamos mesmo que os próximos anos continuem a ser de extrema exigência para todos. Mas o desânimo não é nunca o melhor companheiro.

A Direcção