A construção de uma nova unidade de saúde em S. João de Loure está longe de reunir consenso. Por um lado, Adalberto Póvoa, presidente da União das Freguesias de S. João de Loure e Frossos defende que se avance com um projecto do anterior mandato que prevê a criação de uma nova infra-estrutura naquela freguesia. Por outro, António Loureiro, presidente da Câmara Municipal, afirma que o projecto em causa pode contribuir para o encerramento das unidades de saúde de Angeja e Alquerubim e ainda tirar a possibilidade de uma reabertura da unidade de saúde de Frossos, encerrada há quase dois anos. O debate em torno deste assunto tem sido feito nas sessões da Assembleia Municipal.

 

Há cerca de dois anos, a população de Frossos é atendida em S. João de Loure. A inexistência de uma rede de transportes em Frossos e a falta de condições na unidade de saúde de S. João de Loure trazem sérias complicações para os utentes que, desta forma, são privados de um serviço de qualidade.

Leia a notícia detalhada na edição da 1.ª quinzena de Março